quinta-feira, 23 de julho de 2015

Atividades de Catequese: Evangelho: João 6,1-15 A Multiplicação dos Pães

Evangelho do 17º Domingo do Tempo Comum: João 6, 1-15         Ano Litúrgico:B

Atividades de Fé e Amor a Luz do Evangelho!! 




Abraço Fraterno!!
Sueli
Pãozinho do Céu Maria

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Atividades de Catequese:Evangelho:Marcos 6,30-34 O Senhor é o Pastor

Evangelho do 16º Domingo do Tempo Comum: São Marcos 6, 30-34        Ano Litúrgico:B

Achei tão linda esta partilha que trouxe aqui para dividir com vocês... pare um pouquinho e leia com atenção esta explicação você também vai amar!

         Domingo passado a liturgia nos mostrou o envio. Jesus enviou os discípulos para iniciar a missão que depois seria continuada por nós. 
         Neste domingo, vemos a volta dos discípulos cheios de alegria e confiança pelo sucesso daquela sublime experiência.  Jesus, por sua vez, convida-os para uma pausa, uma avaliação do que eles viveram, uma pausa para orar ao Pai. E o melhor lugar para isso era um lugar deserto, que era um jeito de se ficar a sós com Deus por um tempo de meditação e oração.
         Hoje, o nosso lugar deserto, pode ser apenas apagar a luz, ou fechar os olhos, em um lugar seguro nós nos isolamos do exterior, para nos encontrar com Deus, para ouvir Deus. Se bem que Deus nem sempre nos fala na hora em que pedimos ou queremos, mas sim na hora em que Ele escolhe, que é a melhor hora. Geralmente ao amanhecer. Muitas vezes, nós pedimos a Deus que nos mostre o caminho, a solução, que nos diga o que fazer diante de um tal problema vital, e nada...  Deus não nos responde, Deus parece distante, parece que nos abandonou. Depois, na hora em que menos esperamos,  num estalar de dedo, por meio de um simples acontecimento, ou de uma pessoa, notamos, percebemos Deus nos respondendo com clareza, aquela pergunta que antes fizemos no desespero. E aí vemos que tudo era tão simples, que precisamos apenas segui a Jesus, e confiar no Pai, praticando o Evangelho.
         No tempo de Jesus a agricultura e o pastoreio era a realidade da vida daquela gente humilde. Por isso que Jesus por várias vezes, sejam por parábolas seja por explicação da Boa Nova, Ele se refere aquela realidade vivida no dia-a-dia por todos daqueles tempos. No Evangelho de hoje, mais uma vez, Jesus usa a figura do pastor para poder explicar melhor a sua mensagem.
"Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão, porque eram comoovelhas sem pastor".
         Jesus vê que aquela gente simples, humilde, tinha sede de Deus. Viu que suas almas estavam sedentas de uma palavra de consolo, uma palavra de ânimo para carregar o fardo daquela vida sofrida.
         Jesus teve compaixão. Ele sentiu na carne o sofrimento daquela gente, os mesmos sentimentos de derrota, e de dor.  Ter compaixão é algo mais que dizer: Estimo as suas melhoras só para se livrar de qualquer outra obrigação para o irmão ou irmã carente, que está precisando de  ajuda...    Compaixão é sentir o que o mesmo que  outro sente,  sofrer o mesmo que a outra está sentindo, e partir para a ação de ajuda, de conforto, de tomar uma atitude no sentido de providenciar uma solução ou  um alívio para  o seu sofrimento. Muitas vezes, não podemos fazer nada por ele, ou por ela, como é o caso da perda de um filho, da esposa, do irmão... Mas pelo menos podemos ficar ali do seu lado, ouvindo os seus clamores, seus lamentos, seus desabafos. Isso já ajuda bastante, pois à medida que botamos para fora os nossos sofrimentos, é semelhante a alguém que vomita uma comida que lhe fez muito mal.  Mas para externar os nossos sentimentos de dor e nos aliviar, é necessário que estejamos do lado de uma pessoa amiga que nos ouve sem olhar no relógio com pressa de ir embora, sem falsidade, mas com toda atenção e boa vontade, mesmo que não possa nos ajudar na prática.
         A compaixão seguida da ação de socorro, é a caridade posta em prática.  Uma coisa é nos manifestar carinhosamente diante do irmão que sofre através de palavras bonitas, como por exemplo, dizendo: Coitado!  E outra  coisa é agir sem dizer nada, tomar  providências imediatas no sentido de socorrê-lo diante daquela situação de perigo seja de vida, mesmo que seja do perigo de complicação do seu estado emergencial.  
AS OVELHAS SEM PASTORES DOS DIAS DE HOJE - São muitas. A cracolândia está cheia delas. Nas baladas também encontramos muitos jovens que por não terem tido nenhum pastor que lhes mostrassem o caminho, a verdade e a vida, eles acabaram por escolher aquele caminho muitas vezes sem volta, caminho para chegar mais rápido a felicidade, e acabaram chegando ao fundo do poço, bem mais rápido do que se imaginava. Isso porque, muitos jovens de hoje, estão mais velhos do que os próprios pais, do que os seus avós. Eles não sabiam do estrago que as drogas causariam no seu corpo, na sua saúde.
         Cada vez mais no mundo está aumentando o número das ovelhas sem pastores. Cada vez mais notamos as pessoas indiferentes, revoltadas, desiludidas, infelizes depois de terem buscado uma aventura amorosa ou prazerosa e de ter chegado a um beco sem saída, ao desespero, depois de  ter chegado ao fim do relacionamento, que muitas vezes é acompanhado de tragédia mortal.
         É o mundo digital, da falta de amor que gera a violência, da liberação da maconha, do casamento de pessoas do mesmo sexo, da corrupção desenfreada, do uso da máquina que substitui o trabalho do ser humano, da falta de emprego que gera os assaltos, da embriaguez  de todo o tipo... Tudo isso, não passa de uma busca desenfreada  PELA  SUBSTITUIÇÃO DE DEUS, que infelizmente ACABA EM NADA.  Nada que preencha o VAZIO DEIXADO PELA AUSÊNCIA DE DEUS,  pela ausência do verdadeiro PASTOR.
         Então, o ser humano não encontra mais o sentido da vida, o significado da sua existência, a autoestima fica em baixa,  a insatisfação consigo mesmo e com os parentes e amigos torna-se cada dia maior. Tudo isso é fruto, são sintomas de uma multidão que está a deriva em um oceano de águas agitadas, de uma humanidade que trocou Deus por muitas coisas, por muitos ídolos,  de uma gente sofrida e infeliz, pois são como ovelhas sem pastor.
          Não seja você um desses! Se já o é, volte hoje para Deus!
Um bom domingo, José Salviano  Fonte:http://liturgiadiariacomentada2.blogspot.com.br/2015/07/ovelhas-sem-pastor-jose-salviano.html

Atividades de Fé Amor a Luz do Evangelho

Que seu dia seja iluminado pelo Espirito Santo e Deus lhe pague pela visitinha!!

Abraço Fraterno!
Sueli
Blog Pãozinho do Céu Maria

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Atividades de Catequese: Evangelho: Marcos 6, 7-13 A missão de anunciar a Boa Nova

Evangelho do 15º Domingo do Tempo Comum:  Marcos 6,7-13    Ano Litúrgico B  

Jesus nos deixa a missão de Anunciar a Boa Nova!Bendito seja Deus, que nos reúne, como família, para celebrar a páscoa de seu Filho amado. A exemplo dos primeiros apóstolos, somos chamados a estar com Jesus. A convivência com ele renova nossa alegria e nos fortalece na missão de pregar a conversão e combater todas as formas de mal presentes no mundo.(Liturgia Diária)

Atividades de Fé e Amor a Luz do Evangelho
Deus abençoe pela sua visitinha!
Abraço Fraterno!
Sueli
Pãozinho do Céu Maria

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Atividades de Catequese: Evangelho Marcos 6, 1-6 Jesus não é compreendido e nem aceito por muitos

Evangelho do 14º Domingo Comum: São Marcos 6, 1-6                Ano Litúrgico:B


Jesus não é compreendido e nem aceito por muitos!
Este Evangelho nos mostra que Jesus foi rejeitado na cidade onde nasceu e viveu... as pessoas tinham dificuldades de acreditar que Ele era filho de Deus e por isso não fez ali milagres algum. A dureza de coração e falta de fé das pessoas criaram ali uma barreira para que as graças Deus não pudessem ser realizadas.


Atividades de Fé e Amor a Luz do Evangelho

Amados catequistas que Deus lhes abençoe grandemente nesta linda missão de Evangelização!!
Abraço Fraterno!
Sueli
Catequese Infantil- Pãozinho do Céu Maria